PARCEIRO PALESTRANTE

Luiz Antônio Rocha
Diretor de Elenco, Cinema, TV e Teatro
  • CURRÍCULO
  • FOTOS
A ESPAÇO CÊNICO foi fundada pelo produtor e diretor teatral, Luiz Antônio Rocha, em 1986. Em 2015, completa 30 anos de atividades. Além de produção cultural atua em cinema e TV. Foi considerada pela Revista Veja como uma das mais conceituadas produtoras de talentos, responsável pelo lançamento de Bruna Marquezine, Daniel Oliveira, Rodrigo Santoro, Juliana Paes, Fabiana Karla, Bruno Gagliasso, Reynaldo Gianecchini, Mel Lisboa, Aline Moraes, Débora Falabella, Bruno Gissoni, Rodrigo Simas, entre outros. A empresa produziu centenas de comerciais nacionais e internacionais, vários filmes, novelas e minisséries.Recebeu alguns prêmios “Colunistas” e dois prêmios “Mambembe” de melhor produtora, em 1987, no Rio de Janeiro e em 1988,em São Paulo, pelo musical infantil “Um Peixe fora D água”, de Sura Berditchevisky. No audiovisual destacam-se: “Mandrake”; “O Brado Retumbante”; “Laços de Família”, “Mulheres Apaixonadas”; “Presença de Anita”; “A Lei e o Crime”; “Vidas Opostas”; “Sevenyears in Tibet”, de Jean- Jacques Annaud; “Le Jaguar”, de Francis Veber; “Anjos do Sol”, de RudiLangman e “A Mulher do meu amigo”, de Domingos Oliveira, entre outros. Atualmente, firma parceria com o diretor Luiz Fernando Carvalho na minissérie “Dois Irmãos”, de Milton Hatoum ainda inédita e “ Velho Chico, ambas para a TV Globo.

Na produção de talentos, a Espaço Cênico se solidificou e criou uma marca, mas é nas Artes Cênicas que a produtora tem colocado seu foco nos últimos anos e, principalmente, na formação de plateia, trazendo espetáculos reflexivos, diferenciados e com excelente qualidade artística que fazem o público pensar, se divertir e se emocionar.

No teatro, destaque para a montagem de “Uma Loira na Lua” (2014), comédia do gênero “Besteirol” que fez uma homenagem a apresentadora americana Lucille Ball. O espetáculo lançou a atriz Alexandra Ritcher com grande sucesso de público e crítica.

“A História do Homem que ouve Mozart e da Moça do Lado que escuta o Homem” (2010/11) e “Frida Kahlo, a Deusa tehuana” (2014/2015), “Brimas’ (2015/2016), indicado ao prêmio Shell de melhor texto, espetáculos de forte impacto para o público com excelentes críticas, contribuíram de maneira direta para a formação de plateia com a realização de debates com o público sobre o processo criativo das peças após todas as apresentações.
Formado em Cinema pela Universidade Estácio de Sá. Foi assistente de direção de Murilo Salles, Carlos Manga, Joãos Daniel,Ricardo Waddington, Alexandre Avancini entre outros . Dirigiu vários curtas e comerciais, destaque para o curta “banheiro” escolhido pelo público como melhor curta voto popular do Festival mix Brasil da diversidade sexual. Em 2012, foi convidado para fazer parte do júri oficial do INTERNATIONAL EMMY AWARDS realizado em Nova York.